28 de outubro

GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais GDF - Administrações Regionais
14/12/20 às 17h43 - Atualizado em 14/12/20 às 17h43

Operação de limpeza recolheu cerca de 100 toneladas de lixo, nesta segunda-feira (14), em Ceilândia

COMPARTILHAR

Operação de limpeza recolheu cerca de 100 toneladas de lixo, nesta segunda-feira (14), em Ceilândia

 

A ação em parceria com a Administração de Ceilândia e o GDF Presente é para combater focos do mosquito da dengue. Também foram realizadas a manutenção e desobstrução de bocas de lobo

 

A Administração de Ceilândia em parceria com o programa GDF Presente iniciou, nesta segunda-feira (14), o mutirão de limpeza de áreas e terrenos públicos de Ceilândia. A ação é para retirar possíveis focos do mosquito Aedes aegypti que transmite dengue, Zika, Chikungunya e febre amarela, além de combater insetos peçonhentos como escorpiões e roedores.

No primeiro dia da operação cerca de 96 toneladas de lixo e entulho foram retiradas de ruas e avenidas da cidade como, pneus, móveis e utensílios domésticos em desuso, resto de obras e embalagens plásticas.

A ação contemplou os terrenos da QNM 27, em Ceilândia Norte, na Área Especial da QNP 11, e o recolhimento de galhos na Via P2, ambas no P Norte. Também foi realizada a operação de limpeza e desobstrução de bocas de lobo na Via 04, no Setor O.

O mutirão de limpeza contou com quatro caminhões, cada um, com capacidade de transportar cerca de 8 a 13 toneladas por viagem, duas retroescavadeiras, além de empregar equipes da Administração de Ceilândia.

O administrador de Ceilândia, Marcelo Piauí, diz que o mutirão já é executado desde o começo da sua gestão, mas que devido às chuvas e a proximidade com as festas de fim de ano, a intenção é deixar uma Ceilândia mais limpa, organizada e sem criadouros para o mosquito da dengue. “Estamos retirando e recolhendo das ruas da cidade todo tipo de entulho, principalmente móveis e utensílios domésticos, que infelizmente nesta época do ano as pessoas tendem a descartar de forma incorreta. Faço um apelo a toda comunidade que colabore e que faça o descarte em locais adequados”, faz o apelo Marcelo Piauí.

A moradora do P Norte, Irany de Souza, de 41 anos, conta que muitas pessoas trocam os móveis de suas casas por novos, mas os velhos jogam em qualquer lugar. “Com a chegada das festas de fim de ano sempre descartamos alguns utensílios que não queremos mais. Mas é preciso saber quando descartamos sofás, televisões e armários em algum terreno esse material vai atrair sujeira e doenças como a dengue. É preciso saber que também temos a responsabilidade de descartar o móvel velho de forma correta”, diz a ceilandense.

 

 

Mapa do site Dúvidas frequentes Comunicar erros